• ARQ+H

GOURMETIZARAM A ARQUITETURA

Outro dia no almoço de domingo, e a família toda reunida, alguém disse:

_Lembra daquela kitnet que agente tinha na praia?

​Pensei eu: “passei muitos verões lá, mas será que aquele imóvel ainda é uma kitnet?”

Sabemos muito bem que a linguagem evolui e muda de acordo com os tempos e as necessidades da sociedade, mas hoje ele seria um loft ou um studio?

Pedi ajuda ao Wikipedia e surpresa! Quitinete ou do inglês kitchenette, quer dizer "pequena cozinha", imóvel compreendido por três ambientes: sala-quarto, cozinha-área de serviço e banheiro. Também pode ser chamado de estúdio. Neste momento novamente veio outro pensamento: “Será que os apartamentos de 45m2 que as construtoras estão oferecendo são kitnets?” Sim! Um imóvel já é “apartamento” quando permite divisão entre sala e quarto.

Mas o motivo deste texto não é questionar isso, não por hoje, mas sim, desvendar a gourmetização da arquitetura. Alguns termos que estão em nosso dia a dia, definindo tipos de imóveis ou ambientes são:

WC: esse é o mais antigo e lembro-me de ter aprendido na 5.a série, termo abreviado do inglês, water closet, ou seja, armário de água. Também podemos achar diversos toilets.

Cozinha ou varanda gourmet: diferente da palavra exata, que seria a arte e técnica de cozinhar, este espaço é apresentado como local para facilitar o ato de cozinhar, mas também de despertar o acolhimento e a reunião de pessoas.

Loft: mezanino, sótão ou espaço utilizado para armazenagem, sem repartições, posicionado acima da área de uma casa, fábrica ou galpão, e localizado sob a cobertura. Antigamente utilizado para depósito de feno e alojamento dos funcionários da fazenda. Resumindo: ambiente sem repartições ou paredes, porém hoje em dia, posicionado em cima do outro, sendo apresentado como edifício de apartamentos loft.

Penthouse: apartamento localizado no último andar. O que aconteceram com as coberturas?

Home work: junção do espaço de trabalhar no local de moradia.

Mixed use: são empreendimentos mistos que reúnem na mesma incorporação edifícios residenciais, área de laser, edifícios comerciais, lojas e até hotéis, de acordo com a demanda da região. Muito bom para quem quer morar e trabalhar sem perder horas no trânsito, solução para os grandes centros.

Outros tantos: comunidade (gourmetizaram a favela minha gente!), lobby (entrada ou recepção social), living (sala de estar), mall / shopping (nem preciso explicar), suite máster, closet.

A gourmetização da arquitetura é uma forma de atualizar e valorizar as mesmas coisas, mas com uma roupagem diferente. Enquanto isso não acontece, só posso exercitar minha mente criativa e profetizar que logo estaremos vivendo desta forma: hoje vou cultivar minhas plantas no “private park” (varanda), conferir se a encomenda chegou na “service box” (caixa do correio), pegar o carro no “Parking lot” (estacionamento), a tarde levar as crianças ao “children recreation” (parquinho) enquanto o marido está na “bodybuilding gym” (academia de musculação).

0 visualização

CONTATO (11) 99948-2208