• ARQ+H

CONCEITOS DE MARIE KONDO, APLICADOS AOS QUARTOS DE HOSPEDAGEM

Ordem e organização são os principais conceitos que o livro “A mágica da arrumação”, da japonesa Marie Kondo, nos oferece como solução para organizarmos nossos ambientes e vermos os resultados em nossa vida.

Vamos aprofundar um pouco estes conceitos gerais, para logo adiante, estudarmos como podemos aplicar nos quartos de hotéis, pousadas e hospedagens.

Disciplina é Organização, Organização é Disciplina

Disciplina é o ponto chave para iniciarmos a melhoria de qualquer ambiente, porém muitas pessoas costumam se rotular como organizadas ou desorganizadas. Vemos aqui que a disciplina ou a falta dela, é que irá ditar se uma pessoa é organizada ou desorganizada. O que você fizer num ambiente ficará organizado ou desorganizado, nada será obra do acaso.

Para quem considera-se desorganizado temos uma dica importante a ser exercitada: o que não sei vou aprender. É somente com persistência na disciplina, que conseguimos colocar em prática e exercitar o olhar, e até sentir os resultados e benefícios de uma bela organização.

Organizar o espaço por fora (externo), reflete na organização do meu corpo mental (interno). Assim como o externo é uma extensão do meu estado interno. Para quartos e suítes, o resultado deve ser o mesmo. O hóspede chegar num ambiente que lhe inspire aconchego, tranquilidade, bem estar, irá o remeter a sensação de sentir-se em casa, e todos queremos isso como resultado.

Como isso é possível de ser feito em QUARTOS de hotelaria e hospedagem:

Selecionamos os principais itens e colocamos nosso foco para os quartos de hotéis e pousadas

1 Arrume tudo de uma só vez

Decorar ou reformar um quarto, necessita de uma visão geral neste ambiente, definir um conceito baseado na sua marca, na sua região e no seu hóspede. O ideal é não deixar a decoração pela metade, ou a reforma sai por completo, ou melhor aguardar para não ter um ambiente meio novo e meio antigo. Imagine um ambiente em que o piso, iluminação e pintura estejam lindos e novos, com os demais itens velhos ou com arranhados, por exemplo, uma cama antiga, cortina com estampa que não se usa mais, um quadro com uma pintura que não seja mais moderna.

2 Descarte coisas que foram necessárias no passado, elimine o que não traga felicidade

Este item implica em avaliar se determinado objeto, móvel, acessório, quadro está ali porque sempre esteve ou está ali somente por comodidade. Uma repaginação sempre é bem vinda, mas todos os itens devem conversar entre si, na linguagem estética, acabamentos e texturas são fundamentais para contarmos uma “história”. Por exemplo, um local com praia, ter algum carpete peludo, isso não tem a linguagem ideal para o litoral.

3 Separe as coisas por categoria, dê visibilidade, facilite o acesso e uso

Aqui podemos setorizar os espaços, sabemos que os quartos geralmente não possuem muitas divisões, mas para locais mesmo que pequenos, é favorável estabelecer um fluxo. O local de apoio de bagagens (entrada), o local para colocar roupas e acessórios (entre o banheiro e o quarto), o local para posicionar os sapatos (pode ser próximo a cama ou armário), o local de estudos com boa iluminação (próximo a janela), o local para o frigobar (próximo a uma bancada de apoio para ter uma movimentação básica para a alimentação).

4 Avalie itens sentimentais

Os quartos podem sim ter itens com valor sentimental, principalmente aqueles itens que faz o hóspede conhecer um pouco mais de sua região, como fotos da região, artesanato, tapetes e tecidos feitos por locais. Aqui a questão principal é conectar. Avalie se existem itens de valor sentimental próprio ou somente familiar a você. Muitos locais de hospedagem são empresas familiares, que o proprietário foi decorando com itens de sua própria família, cuidado e não transforme esse local em museu.

5 Não exagere nos itens organizacionais

Exagerar em cabides, caixas, suportes, prateleiras, armários com muitas portas, podem dificultar no uso diário, na manutenção frequente e na limpeza. Ganchos que podem estar posicionados em locais que favorecem uma batida na canela ou no cotovelo, podem ser lembrados por muitas semanas. Menos é mais, facilite a vida.

6 Tenha um ritual para viver naquele ambiente

Determine a função e uso único para cada categoria (armário, apoio de sapatos/malas, alimentação/frigobar etc). Não invista em itens e mobiliário duplos, por exemplo, tenha somente um local para apoiar bagagem e malas, um local para apoiar os sapatos, um local para ter um belo espelho de corpo inteiro. Quanto menos duplicidade, menos circulação, e melhor será o ritual para se viver neste ambiente.

2 visualizações

CONTATO (11) 99948-2208